segunda-feira, 13 de março de 2017

Os Pistoleiros da Gândara ou uma Reflexão Sobre o Tiro aos Sinais de Trânsito:


Apesar de a (ainda relativamente) pacífica Gândara não ser propriamente o Texas do Velho Oeste Americano, apesar de alguns vândalos desconhecidos assim a considerarem (clicar para ler o artigo), circulam por aqui alguns pistoleiros anónimos que vão deixando marcas visíveis e duradouras da sua passagem, em contraste com os sons efémeros dos seus disparos, que por vezes são audíveis, mesmo fora da época de caça.

E algumas dessas marcas mais visíveis e duradouras são deixadas nos sinais de trânsito da região, esburacados por balas de pistola ou chumbos de caçadeira, num cenário que nos faz lembrar as imagens televisivas que nos chegam de alguns países devastados por guerras. Já vi demasiadas  situações destas ao longo dos anos, nas minhas voltas pela Gândara.

Deixo aqui algumas imagens meramente ilustrativas que tinha no meu arquivo pessoal, tiradas em 2010, 2013 e 2017, algures nas Freguesias da Tocha (no Concelho de Cantanhede) e da Ferreira-a-Nova (no Concelho da Figueira da Foz), cujas etiquetas de localização nem sequer irei colocar depois do artigo.

Confesso que o facto de os STOPs serem um alvo muito utilizado me deixa particularmente preocupado, sobretudo nos casos em que esses sinais estão colocados em cruzamentos e entroncamentos com estradas com grande circulação, em que existe o risco real de quem aí circula (passando mesmo atrás desses sinais), poder ser vítima de uma bala ou chumbada perdida. Até já vi alguns sinais de trânsito com marcas de tiros em cruzamentos e entroncamentos com a EN-109, uma estrada nacional que tem muito movimento, mesmo após a entrada em funcionamento da autoestrada A-17, que está quase às moscas. De facto é uma situação de risco muito preocupante, existe efectivamente o perigo real de uma destas sessões de tiro ao alvo poder acabar em tragédia.

Coloco duas questões, a que os leitores poderão responder nos comentários:
- Qual será o fascínio que os sinais de trânsito exercem nos amigos do gatilho? O que os leva a sentirem-se tão atraídos por eles, ao ponto de preterirem outros possíveis alvos?
- Custa muito a quem tem as suas pistolas e caçadeiras, sejam elas legais ou ilegais, ir praticar o seu tiro ao alvo para locais mais seguros e discretos? Por exemplo, pegar numas latas e ir para um local isolado na floresta ou num pinhal, de preferência com uma duna ou colina atrás dos alvos, para absorver os projécteis dos disparos?








1 comentário:

lifreu disse...

Infelizmente o nosso país cada dia está mais selvagem , qual farwest qual carapuça portugal regride há musitos anos e nào se lhes pode apontar o dedo que ainda é pior chegam até a defender os criminosos quando de fora se aponta isto ou aquilo .